Menos Emergências

Juliana Galdino assina a direção do espetáculo Menos Emergências, de Martin Crimp, em curtíssima temporada, dentro da programação do 16º Festival de Teatro da Cultura Inglesa. Considerado um dos mais brilhantes escritores britânicos surgidos nas últimas 3 décadas, Crimp, assim como o americano Thomas Pynchon, faz parte do time de escritores contemporâneos que vivem reclusos e partilham uma visão ácida e pessimista do momento que vivemos. Menos Emergências é uma de suas publicações mais recentes (2005) e também um dos poucos trabalhos dele conhecidos no Brasil. Menos Emergências é um tríptico. Três histórias que se conectam e se completam: Uma mulher lidando com o fracasso do casamento, um massacre de criancinhas em uma escola e um casal que cria o filho trancado em um quarto para protegê-lo da violência. Personagens esquisofrênicos em um universo de desolação e desespero, cobertos por uma máscara de otimismo falso e doentio, negando a realidade. Um texto sob medida para a força dramática de Juliana Galdino e para a estética do Club Noir, companhia que a diretora e atriz fundou com o marido, o diretor Roberto Alvim, criando um conceito de dramaturgia que coloca em xeque os conceitos básicos do teatro. (Con)centrada no texto, a encenação de Juliana Galdino para Menos Urgências, exige dos atores um trabalho muito além da interpretação. Trabalhando a ausência de excessos, a diretora coloca em cena todo o cinismo e acidez de Crimp. Um trabalho denso, tenso, perverso. Em cena: Donizeti Mazonas, Lianna Matheus e o desempenho brilhante de Susan Damasceno.

0 comentários: