Gente Fina É Muito Pior


Hoje fui ao teatro. Fui ver pela segunda vez o trabalho apaixonante de uma das mais importantes companhias deste país. Infelizmente acabei assistindo um espetáculo deplorável. A peça, claro, continua ótima mas a platéia...
A falta de educação e de respeito é uma evidência clara do grau de decadência da sociedade atual. Isso, somado à dependência física e psíquica que as pessoas desenvolveram nos últimos anos por seus aparelhos celulares, gera situações que ultrapassam o nível do desconforto para quem está por perto.
Durante os curtíssimos 45 minutos de duração do espetáculo, luzes se acendiam em vários pontos da platéia, com celulares recebendo ou enviando mensagens, em uma peça onde a escuridão é parte importante dentro do contexto das cenas. Resultado: os demais espectadores, irritados, não conseguiam se concentrar no espetáculo e muito menos os atores, como me contou mais tarde um dos integrantes do elenco.
Mas o ponto alto mesmo foi quando um senhor aparentemente distinto, visivelmente classe média alta (esses são os piores), acompanhado de sua esposa de cabelos falsamente loiros e cara botocada, atendeu o celular!!! Por mim a peça deveria ter parado ali, as luzes deveriam acender e todo mundo vaiar aquele imbecil. Talvez assim ele aprendesse.
Engraçado é que até os "manos" no metrô já sacaram que não é legal ouvir música no celular sem os headphones. Há tempos que eles andam com seus fonezinhos no ouvido, escutando sozinhos aqueles raps medonhos, sem incomodar os demais passageiros.
Mas nos teatros e cinemas, esse povinho que se sente acima dos demais mortais e impermeável às regras de convivência em sociedade, não conseguem desligar seus celulares.
Esse é o tipo de gente que não está nem aí com o resto da humanidade. É o tipo de gente que, com certeza, não separa o lixo reciclável, não respeita faixa de pedestre, mija na piscina, peida no elevador e palita os dentes na mesa do restaurante.
Como disse minha musa Funérea em uma de suas tirinhas: "Não tenho medo que os ETs invadam a Terra. Tenho vergonha."


0 comentários: