Uma Björk Melancólica em Vulnicura


Cada vez mais lírica a cantora, instrumentista, atriz e produtora islandesa Björk ressurge melancólica em Vulnicura e ganha retrospectiva no MoMA.


Repleto de letras delicadamente amargas, referenciadas no fim de seu casamento com o artista plástico Matthew Barney, Vulnicura mistura grandiosos arranjos de cordas à cavernosa batida eletrônica do venezuelano Arca, que assina a produção do álbum junto com Björk e o inglêsThe Haxan Cloak.
Com lançamento antecipado em 2 meses devido ao vazamento do álbum na internet, Vulnicura marca também os 30 anos de carreira de Björk e vem dentro do pacote que inclui uma exposição retrospectiva de sua carreira no MoMA.
De 08 de Março a 07 de Junho de 2015 o Museu de Arte Moderna de Nova York exibe desde os exóticos instrumentos utilizados na gravação de Biophilia, figurinos emblemáticos da cantora, instalações sonoras e até uma sala de cinema com os lendários clips da vanguardista e profética diva pop multimídia. Uma exposição que certifica a influência de Björk nas artes contemporâneas e coloca definitivamente seu nome entre os maiores da música.










0 comentários: