O Fotógrafo do Surrealismo


Nos tempos em que efeitos especiais em fotografia exigiam muito mais conhecimento, trabalho e talento do que manusear o Photoshop, existiu um fotógrafo que quebrou todos os conceitos estéticos de seu tempo e se transformou em um artista respeitado e adimirado por nomes como Salvador Dali, Alfred Hitchcock, Jean Cocteau, Albert Einstein, entre muitos outros.
O russo Philippe Halsman nasceu em Riga, em 1906. Estudou engenharia elétrica em Dresden e, aos 22 anos, foi julgado culpado pela morte de seu pai, estranhamente ferido durante um passeio nos Alpes Austriacos. A prisão de Halsman movimentou a intelectualidade da época, que apontou o caso como perseguição aos judeus. Albert Einstein e Thomas Mann escreveram em defesa do rapaz que foi libertado após 4 anos de reclusão, sob a condição de nunca mais voltar à Austria.
Halsman foi para Paris onde começou a colaborar para a Vogue e tornou-se conhecido como um dos melhores fotógrafos de retratos ao clicar famosos como Andre Gide, Marc Chagall, Le Corbusier e André Malraux. Halsman utilizava uma lente dupla desenvolvida por ele mesmo para sua Pentax, obtendo um efeito de foco como nunca antes visto.


Quando a França foi invadida pelos nazistas, ele refugiou-se em Marselha e depois, com a ajuda de um amigo de Einstein, conseguiu visto para os Estados Unidos, onde trabalhou principalmente como fotógrafo de publicidade a princípio, passando depois a fotografar para a revista Life.
No começo da década de 40 conhece Salvador Dali e juntos desenvolvem vários projetos. Em Dali Atomicus, de 1948, eles exploram a ideia de suspensão bem ao estilo do gênio espanhol e essa parceria acaba conferindo a Halsman o título de fotógrafo surrealista. Em 1951 eles lançam In Voluptas Mors, onde Dali aparece junto a uma caveira formada por corpos de mulheres nuas. Em 1954 é lançado o livro Dali's Mustache, um compêndio de todos os trabalhos da dupla.


Consagra-se como fotógrafo preferido de celebridades como Brigitte Bardot, Audrey Hepburn, Liz Taylor, Grace Kelly e muitas outras. Mas Marilyn Monroe foi com certeza a grande paixão das lentes de Halsman, assim como fica clara a paixão de Marilyn pelo olhar dele. São dezenas de fotos da atriz, muito além do que os outros fotógrafos conseguiam captar.


Em 1959 acontece o lançamento de Philippe Halsman's Jump Book, com 178 fotos de personalidades da época... pulando! Entre elas: A família Ford, o Duque e a Duquesa de Windsor e Richard Nixon. A idéia deste trabalho surgiu em 1951 quando ele foi convidado pela NBC para fotografar uma grande lista de comediantes da época. Entre os gracejos dos humoristas para posar, Halsman percebeu que "quando você pede para uma pessoa pular, ela fica tão concentrada no pulo, que a máscara cai".


Sua foto mais famosa no entanto é de 1947 onde seu amigo Einstein aparece visivelmente triste e arrependido por sua colaboração nos estudos que levaram à fabricação da primeira Bomba Atômica. Essa foto posteriormente, em 1966, virou selo e em 1999 estampou a capa da Time sob o título "Homem do Século".


Philipe Halsman morreu em 1979, em New York.

Mais fotos de Halsmn em: http://pinterest.com/tracosurbanos/philippe-halsman/



0 comentários: