Christian Rex van Minnen


As "Naturezas Mortas-Vivas" e os perturbadores retratos do pintor norte americano

Christian Rex van Minnen.















Madonna, Her Story


No Dia Internacional da Mulher, Madonna lançou um curta de 12 minutos - dirigido pelos bambambans da fotografia Luigi & Iango - em homenagem a todas as mulheres que lutaram e lutam pela liberdade.


Com 12 minutos de duração e totalmente em preto e branco, o filme nasceu de um ensaio fotográfico para a Vogue Alemanha, Madonna Her-Story tem seu foco principal na causa feminista mas amplia seu raio de abrangência para a causa LGBT e a igualdade de gêneros, ao inserir personagens andróginos.


No texto de abertura, a Rainha Eterna do Pop anuncia: “Bem-vindos à revolução do amor, à nossa recusa como mulheres a aceitar esta nova era da tirania, onde não apenas as mulheres estão em perigo, mas todas as pessoas marginalizadas. Onde ser diferente pode realmente ser considerado um crime."


Sempre polêmica e provocadora, Madonna mistura a estética nazista à judaica, à cristã e à machista, para deixar bem claro os modelos de tirania aos quais as mulheres vem lutando durante toda a existência da humanidade. No final, uma faixa com os dizeres: "Todos nós devemos ser feministas".










R.I.P. Chuck Berry (1926-2017)


“Se você quisesse dar outro nome para Rock ‘n’ Roll, você poderia chamar de Chuck Berry”, disse John Lennon.
Essa frase não define mas dá uma boa ideia da importância de Charles Edward Anderson Berry, ou simplesmente Chuck Berry, não só para o rock mas para tudo o que veio depois do surgimento dele na cena artística norte americana com a gravação de "Maybellene", em 1955.


Influenciado por Nat King Cole, Louis Jordan, Muddy Waters e Bill Haley, e começou a tocar numa gravadora chamada Chess Records com o pianista Johnnie Johnson, o baixista Willie Dixon e o baterista Fred Below.
Entre suas canções mais icônicas estão "Roll Over Beethoven", "Sweet Little Sixteen", "Route 66", "Memphis, Tennessee", “You Can Never Tell” e o hino "Johnny B. Goode" (que tem a mais famosa introdução de guitarra da história do rock).


Berry exerceu grande influência sobre bandas e cantores que são referência no universo rock'n'roll tais como: Elvis Presley, The Animals, The Kinks, The Yardbirds, The Beatles, Rolling Stones, Led Zeppelin, Deep Purple, The Doors, Eric Clapton e Jimmy Hendrix.
Certa vez o rolling stone Keith Richards, na apresentação de Berry como premiado no Hall da Fama do Rock, em 1986, declarou ao público: "É difícil para mim apresentar Chuck Berry, porque eu copiei todos os acordes que ele já tocou até hoje."


O legado de Chuck Berry ultrapassa as fronteiras do rock'n'roll e exerceu também grande influência sobre a soul music e até sobre a country music.
Sua importância aliás ultrapassa os limites do planeta e do sistema solar. A a NASA lançou em 1977 a missão Voyager I, onde incluiu um disco para explicar os sons da Terra a outras formas de vida inteligente que por ventura tivessem contato com a nave. Nesse disco  há registros sonoros de fenômenos naturais como trovões, cantos de pássaros, ondas do mar  e a música “Johnny B. Goode".


Chuck Berry morreu aos 90 anos no dia 18 de março de 2017, pouco tempo depois de anunciado o lançamento de seu novo álbum, o primeiro em 38 anos, com canções inéditas.


Fantasias da X-9 Paulistana em exposição no Graal 56


O Graal 56, na Rodovia dos Bandeirantes em Jundiaí, expõe até 17 de março as fantasias da Escola de Samba X9 Paulistana, campeã do Grupo de Acesso no carnaval 2017 com um enredo em homenagem ao artista plástico Inos Corradin.
Criadas pelo premiado carnavalesco Lucas Pinto, as fantasias foram inspiradas nas obras mais icônicas do artista, com todo o colorido e formas geométricas que são uma característica marcante no trabalho desse pintor mundialmente reconhecido e que escolheu Jundiaí para viver e trabalhar.
A exposição batizada de "O Ilusionista na Estrada" tem o mesmo nome do livro e documentário lançados em 2015/2016.
Segundo a agência de propaganda Legatto, idealizadora da exposição, "É um pedacinho do Carnaval e também uma homenagem do Graal 56 ao artista, à X9 e ao carnaval".
Com um café da manhã que reuniu imprensa e formadores de opinião, a abertura da exposição contou com a presença do carnavalesco Lucas Pinto e da marchand Sandra Carnio, representando Inos Corradin que se recupera de uma gripe.
A exposição tem entrada franca e vai até 17 de março no posto Graal 56 – Rodovia dos Bandeirantes, km 56, sentido Capital, em Jundiaí.









Duchamp, A Bicicleta e O Mictório


Em 1913 o dadaísta francês Marcel Duchamp revoluciona as artes ao apresentar sua escultura “Roda de Bicicleta” dando início ao “ready made”, a forma mais radical do seu fazer artístico batizado por ele como “objet trouvé”, a arte encontrada.

Nos anos seguintes Duchamp assumiria a postura anti-arte do aaísmo, abandonando a pintura e rompendo definitivamente com a arte tradicional, para dedicar-se ao que classificou como “arte retiniana”, uma reflexão sobre o culto ao instantâneo potencializado pela fotografia em contraposição à desconstrução analítica de Descartes.

Em 1917 Duchamp deixaria o mundo em choque ao apresentar para a exposição da Sociedade de Artistas Independentes de Nova Iorque a obra A Fonte, um mictório arrancado de um banheiro público e que ele assinou como R. Mutt. O pseudônimo se deve ao fato de ele próprio ser membro do comitê que faria a seleção de obras para a exposição.
A Fonte foi rejeitada mas, ao lado da Roda de Bicicleta, são ícones máximos da arte moderna. Até então, a arte era para ser sentida. A partir de Duchamp ela passa a ser pensada e o conceito, na maioria das vezes, tem igual ou maior valor que a obra em si.

As duas obras de Duchamp estão avaliadas em 3 milhões de Euros. Cada uma.
Frase de Duchamp: “Eu não acredito em arte, acredito no artista”.

Designers Russos Misturam Os Simpsons e Mondrian


Fãs inveterados do Bar do Moe podem apreciar a Duff Beer mas casais sofisticados como Homer e Marge certamente preferem uma bebida mais sofisticada.
Os designers russos Constantin Bolimond e Dmitry Patsukevich criaram elegantes garrafas para vinho que certamente agradariam pessoas até mais exigentes que o casal Simpson.

A embalagem foi lançada em 2014, ano em que a animada série comemorou 25 anos no ar. Foi uma homenagem de fãs criativos com produtos criativos inspirados nos personagens de Matt Groening.

O rótulo diz que os vinhos são envelhecidos desde 1987 (ano em que os Simpsons foram criados) e as garrafas combinam as cores dos figurinos de Homer e Marge com as telas minimalistas de Mondrian.
Infelizmente as garrafas de vinho são apenas um conceito e não estão realmente para venda. Porém a Twentieth Century Fox, impressionada com o projeto, acusou o designers Bolimond e Patsukevich de violação de direitos autorais, alegando direitos de propriedade intelectual.

Bibo, Hong Kong


Um elegante edifício entre antiquários e galerias de arte na Hollywood Road, em Hong Kong. abriga um restaurante que mixa a cozinha francesa clássica, street art e uma coleção invejável com alguns dos mais importantes artistas da atualidade como Banksy, Jean-Michel Basquiat, Damien Hirst, Daniel Arsham, Jeff Koons, Rei de Kowloon, Shepard Fairey, Takashi Murakami e Yayoi Kusama entre muitos outros.

Bibo é o nome do restaurante galeria que cria uma nova maneira de comer e de ver a arte. Bibo é também o nome do empresário e colecionador de arte por trás desse projeto mas que, super discreto, prefere o anonimato e uma boa distância dos holofotes.

A inspiração remete à Art Deco – uma estética de design moderno o suficiente para servir como pano de fundo para as constantes mudanças e o eclético mix de expressões artísticas, mas também elegante e confortável o suficiente como um ambiente para degustação da refinada gastronomia clássica francesa.

O projeto de interiores é assinado por Maxime Dautresme, da agência de design Substance, que se inspirou também na história do próprio edifício que abrigou no passado a sede de La Compagnie Générale Française de Tramway.